A equação do casamento: o que você deveria saber antes de se casar | Por Luiz Hannz


Na introdução de seu livro “A equação do casamento”, Luiz Hannz apresenta as diversas mudanças que ocorreram com o passar do tempo.

Antes, havia 4 condições para a manutenção do casamento:

  1. Os deveres se sobrepunham à felicidade: religião, obrigações de ser pais, amor à pátria, à família. hoje o objetivo é a felicidade individual.
  2. Os parceiros seguiam tradições, usos e costumes. Havia regras rígidas a serem seguidas, hoje questionamos tudo e não nos submetemos a costumes e tradições com facilidade.
  3. Não se negociava: cada pessoa tinha uma papel na família, marido, esposa, filhos. Hoje, homens e mulheres estão em nível hierárquico igual, com direitos iguais no poder decisório.
  4. Casamento indissolúvel: o divórcio era um tabu e considerado uma desastre social. Hoje, vemos o aumento do divórcio como algo normal no reajuste das relações.

Resultado de imagem para a equação do casamentoCom toda a certeza, aumentaram as expectativas em torno do futuro que desejamos. “Queremos uma boa vida sexual, parceria e companheirismo, projetos em comum, consenso sobre como levar o dia dia, como educar os filhos, apoio, fidelidade, compreensão, parceiros felizes e bem sucedidos. Nossas expectativas ficaram imensas”, afirma Luiz Hannz. Com isso, é preciso uma reajuste nas relações do casamento e não estamos preparados para isso.

Eis alguns fenômenos da nossa época que influenciam no casamento:

  1. Todo mundo está online: assim a comparação das alternativas fica muito mais fácil. Estilos de vida, maridos, esposas, carro, casa: tudo pode ser comparada com o que vemos que o outro possui.
  2. Todos somos produtivos, acelerados e estamos gozando: vivemos freneticamente, com muitas atividades a serem realizadas, aumentando nossos níveis de estresse, ansiedade e depressão bem como a expectativa de auxílio dos companheiros.
  3. Os ciclos dos homens e mulheres estão em dessincronia: os projetos individuais parecem não ajustáveis ou compatíveis com a vida conjugal, cada parceiro buscando metas separadas esperando que o outro se submeta.

A insatisfação aumenta nas relações, principalmente para as mulheres, que tendem a priorizar a relação, encontrando homens despreparados para falar de si, entrar em contato com a afetividade ou compreender as expectativas alheias.

“Não percebemos ainda quão complexo é o atual projeto de felicidade do casamento. Não fomos preparados para ele. Ainda pensamos que o amor resolve tudo ou que com bom senso equacionaremos as coisas”, conclui Luiz Hannz. Contudo, o número de divórcios aumenta, as pessoas solteiras tem mais dificuldades para escolher seus parceiros de vida conjugal, e os divorciados se demoram em escolher novas parcerias.

Falar de uma equação do casamento é colocar em questão esses ajustes necessários que cada um tem que fazer em si e na convivência com o outro. Além disso, será necessário desenvolver novas habilidades para lidar com os desafios de estar casado hoje em dia.

Para saber mais sobre o livro, clique aqui.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *