Fracassos fazem parte do processo: não desista!


Dando continuidade a nossa leitura do livro “13 coisas que pessoas mentalmente fortes não fazem, de Amy Morin, hoje falaremos do fracasso: temido, frustrante, mas ao mesmo tempo uma grande oportunidade de aprendizado.

Fonte: A Magia do Mundo dos Negócios (Site)

“A maioria das pessoas de sucesso trata o fracasso apenas como o começo de uma longa jornada para o sucesso”. O medo de tentar novamente após uma experiência de fracasso pode ser uma dos motivadores para a estagnação. Contudo, sentir medo é absolutamente normal. Enfrentá-lo de maneira eficaz é a solução. Como fazer isso? Analisando a situação que conduziu ao fracasso, rever o passo a passo e modificar as atitudes e comportamentos. O importante é não deixar que o fracasso determine quem somos.

Para Amy Morin, algumas pessoas desistem porque tem uma ideia fixa de inferioridade de suas habilidades. Com isso, não buscam melhorar, evoluir e quando tentam novamente, acabam por fracassar mais uma vez. Desistir após um fracasso pode reforçar comportamentos que aumentaram a crença pessoal: “Sou um fracassado”. E assim você desiste de aprender algo novo.

Eis alguns motivadores para a manutenção do comportamento de fracasso:

  1. Alguns nascem com dons e talentos, mas não todos: a ciência prova que podemos desenvolver habilitades que não possuímos.
  2. Quem tem QI (Quociente de Inteligência) alto é melhor: na verdade, determinação é o fator principal para obtenção de sucesso.
  3. Fracasso é sinal de incapacidade: essa ideia leva a uma profunda sensação de impotência e fracassar faz parte do aprendizado de algo novo, diferente ou apenas da tentativa.

Portanto, é preciso conhecer bem as crenças envolvidas no processo do fracasso. Conhecer mais ainda quais habilidades se deseja desenvolver e quais atividades serão necessárias para desenvolvê-las. MUDE SUA FORMA DE VER O FRACASSO. Seja mais racional e perceba que fracassar faz parte do desafio das tentativas naquilo que estamos desenvolvendo.

Como vimos em capítulos anteriores, autopiedade é um sério problema para o desenvolvimento. Se fracassou, analise e aprenda, mas não pare para ficar se lamentando e assumindo uma postura de coitado. “Evite permitir que todo o seu valor pessoal dependa de suas conquistas, ou vai ser mais provável que você não se arrisque a fazer coisas nas quais poderá fracassar”.

“O fracasso pode aperfeiçoar seu caráter, desafiando-o de novas formas. Pode ajudar a identificar áreas em sua vida que precisam de aperfeiçoamento e forças ocultas que você nunca reconheceu.”

Eis algumas atitudes que podem ajudar:

  1. Enxergar o fracasso como uma oportunidade de aprendizado.
  2. Resolver tentar de novo se na primeira vez não der certo.
  3. Encarar seu medo do fracasso.
  4. Desenvolver um novo plano para aumentar suas chances de sucesso.
  5. Identificar e substituir sentimentos irracionais sobre o fracasso.
  6. Concentrar-se em aprimorar suas habilidades e não em exibi-las.

Para saber mais, adquira o livro, clicando aqui.

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *